Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
16.05.2018 • Economia

BC lança laboratório de inovação para desenvolver soluções financeiras tecnológicas

modernizacao_bc

Campo Grande (MS) - O Banco Central (BC) lançou o Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift), um ambiente virtual colaborativo com a academia, o mercado, as empresas de tecnologia e as fintechs, destinado ao desenvolvimento de novidades tecnológicas, à troca de conhecimentos e à avaliação dos resultados dos experimentos. A iniciativa, realizada em parceria com a Federação Nacional das Associações de Servidores do Banco Central (Fenasbac) e com o apoio de empresas de tecnologia, como Amazon Web Services, Microsoft ou IBM, faz parte do esforço do BC para fomentar a inovação tecnológica no Sistema Financeiro Nacional (SFN). 

O Lift foi criado para possibilitar o desenvolvimento de soluções financeiras tecnológicas. As ideias selecionadas pelo laboratório terão o suporte de grandes empresas de tecnologia. No portal de acesso, pessoas e empresas interessadas vão submeter seus projetos, os quais devem estar alinhados aos temas definidos pelo comitê formado pelo BC, pelas empresas de TI e pela Fenasbac. O prazo para inscrição é até 24 de junho. A lista com os selecionados sai em 16 de julho. Nessa primeira rodada, os temas deverão estar alinhados com a Agenda BC+: mais cidadania financeira, legislação mais moderna, sistema financeiro mais eficiente e crédito mais barato.

Os projetos aprovados serão incubados, recebendo suporte para o desenvolvimento de um protótipo. Os resultados serão avaliados e apresentados de acordo com o parecer técnico do comitê. 

Durante o lançamento da plataforma, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, ressaltou a relevância do laboratório de inovação. “As inovações tecnológicas têm enorme potencial de geração de valor para o setor financeiro e para toda a sociedade brasileira. Nesse contexto, o Lift surge como oportunidade para a proposição de soluções que se traduzam em ampliação da inclusão financeira e, consequentemente, para o desenvolvimento financeiro e econômico do país.” 

“O Lift é uma arena que possibilitará um encontro privilegiado. Banco Central, universidades, pesquisadores independentes, startups, mercado financeiro, grandes empresas de tecnologia vão interagir em um espaço ímpar de criação e inovação”, pontuou a diretora de Administração do BC, Carolina Barros. De acordo com Carolina, há no exterior casos parecidos de sucesso com laboratórios virtuais, mas a diferença é que, no Brasil, o Lift é aberto a toda a sociedade. Qualquer pessoa pode postular sua ideia. O suporte aos projetos selecionados será oferecido pela Amazon Web Services, pela Microsoft ou pela IBM, com especialistas e espaço em nuvem durante 90 dias. 

Paulo Stein, presidente da Fenasbac, parabenizou as equipes do Banco Central e agradeceu a oportunidade de trabalhar no projeto. “A nossa principal agenda é ser um agente viabilizador de ações desta instituição, especialmente aquelas capazes de propiciar o fortalecimento da identificação da sociedade com a marca Banco Central do Brasil. O resultado maior do Lift é proporcionar novas facilidades, agilidade e maior segurança no acesso da população aos produtos financeiros”, avalia. 

“Em nome das empresas de tecnologia, a Microsoft está super honrada de apoiar esse projeto. Temos expectativa de que os frutos do Lift vão promover desenvolvimento e inovação para o setor financeiro, que é tão importante para o nosso país”, destacou o diretor de Tecnologia da Microsoft, Ronan Damasco. 

Segundo Marcelo Yared, chefe do Departamento de Tecnologia da Informação do BC, a automatização e a computação estão entrando de forma muito mais intensa nos processos finalísticos das instituições financeiras. “Os aplicativos se tornaram a principal porta de entrada dos negócios dos bancos. Percebemos a tendência do uso de inteligência artificial e novos processos de trocas de informações como ferramentas fundamentais para o funcionamento do sistema financeiro. É de extrema relevância que o BC converse com os principais atores desse processo, como o mercado de tecnologia e o mercado financeiro. A ideia é que o BC observe, avalie e, eventualmente, proponha caminhos para que essas inovações não representem riscos, dificuldades ou problemas para a estabilidade do sistema financeiro”, avalia. 

Inscreva seu projeto: https://www.liftlab.com.br/ 

Prazo de inscrição: até 24 de junho. 

Divulgação dos selecionados: 16 de julho.