Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
23.04.2018 • Economia

Exportações de industrializados no MS têm aumento de U$ 151,4 milhões no trimestre

industrias

Campo Grande (MS) - A receita com as exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul, nos três primeiros meses do ano, aumentaram em 22% quando comparada ao mesmo período do ano anterior. A Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems), informa que a arrecadação chegou a U$ 842,7 milhões, enquanto no ano passado foram U$ 691,3 milhões.

Na comparação de março de 2017 com março deste ano, a receita com a exportação de produtos industriais registrou crescimento de 17%, saindo de US$ 236,8 milhões para US$ 276,2 milhões.

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, o montante obtido no mês de março é o melhor resultado registrado para o mês em toda a série histórica das exportações industriais de Mato Grosso do Sul.

“Quanto ao volume exportado, na comparação mensal, tivemos aumento de 27%, enquanto na comparação anual registramos aumento de 29% em relação a 2017. Já em relação à participação relativa, no mês, a indústria respondeu por 52% de toda a receita de exportação de Mato Grosso do Sul, sendo que no acumulado do ano, na mesma comparação, a participação ficou em 70%”, analisou.

Ainda de acordo com ele, os grandes responsáveis por esse bom desempenho continuam sendo os grupos da “Celulose e Papel”, “Complexo Frigorífico”, “Extrativo Mineral”, “Óleos Vegetais”, “Açúcar e Etanol” e “Couros e Peles”, que, somados, representaram 98,2% da receita total das vendas sul-mato-grossenses de produtos industriais ao exterior.

No caso do grupo “Celulose e Papel”, a receita no período avaliado foi de US$ 408,5 milhões, crescimento de 67% comparado com a somatória de janeiro a março de 2017, dos quais 97,3% foram obtidos apenas com a venda da celulose (US$ 398 milhões).

Os principais compradores foram a China, com US$ 198,4 milhões, Itália, com US$ 50,1 milhões, Holanda, com US$ 39,1 milhões, Estados Unidos, com US$ 26,3 milhões, e Coreia do Sul, com US$ 15,6 milhões.