Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
12.02.2020 • Sindifisco

Presidente participa de ato contra desmonte do serviço público

img_20200212_wa0078

Campo Grande (MS) - O presidente do Sindifisco-MS, Cloves Silva, participou nesta quarta-feira (12) do ato político pela valorização do serviço público, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília.  Organizado pela Frente Parlamentar Mista do Serviço Público, junto a dirigentes do Fisco estadual e distrital, bem como diversas outras categorias de servidores, os participantes colocaram em discussão a manutenção e a defesa do serviço público com objetivo de sensibilizar os parlamentares a votar contra propostas que fragilizem e/ou ameacem o funcionalismo.

"Dentro de um contexto de falso ataque à corrupção (cuja fragilidade é constatada na defesa dos interesses dos familiares e amigos do presidente), ocorre um ataque sem precedentes às políticas de estado, com o desmanche do serviço público e o aniquilamento dos servidores públicos", declarou o presidente.

Para Cloves é preciso deixar claro que 'nem tudo o que é público é podre, e nem tudo que é privado é virtuoso'. O presidente avalia que o ano de 2020 será de muitas lutas, que ensejará um engajamento dos servidores públicos e da sociedade, contra uma política liberal de desmonte dos serviços públicos.

"Não há nas propostas e PECs apresentadas pelo governo nenhuma preocupação com a população. A ideia do parasitismo - expressada pelo ministro da economia Paulo Guedes - demonstra a intenção das propostas: matar o parasita, aniquilar o servidor público.O lucro dos bancos e rentistas do ano de 2019 foi o maior de todos os tempos, conforme publicado recentemente pela grande imprensa. O mesmo mercado financeiro que financia as políticas apresentadas pelo governo, capitaneada pelo ministro que chama os servidores públicos de parasitas", criticou.

Cloves destaca ainda a importância da Reforma Tributária Solidária, escrita há muitas mãos,  em um amplo estudo capitaneado pela ANFIP (Associação Nacional dos Auditores-fiscais da Receita Federal do Brasil) e a FENAFISCO (Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital).

"Sem uma reforma tributária que enfrente os desafios de cobrar mais encargos de quem ganha mais, com menos regressividade, não conseguiremos avançar no combate à desigualdade social. As propostas apresentadas pelo governo não atacam as questões estruturais do país, tão somente atendem aos interesses do capital, marginalizando os servidores públicos e reduzindo drasticamente a qualidade do serviço público", pontuou.

Cloves Silva, que também é diretor de comunicação da Fenafisco, destaca que 'a Federação une esforços às demais categorias do setor e conclama os servidores do fisco a defender a essencialidade da Administração Tributária, que cumpre um papel fundamental para um país mais justo, fiscalizando o pagamento de impostos, combatendo o crime e garantindo a arrecadação de recursos para políticas públicas como saúde e educação'.

Para a Fenafisco é fundamental a união de todas as carreiras, com vistas a impedir a anulação de direitos conquistados daqueles que trabalham para a construção de um país mais igualitário a todos os brasileiros. (Com Ascom Fenafisco)

 

 
What do you want to do ?
New mail
 
What do you want to do ?
New mail
 
What do you want to do ?
New mail