Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
20.09.2018 • Fenafisco

Formação de multiplicadores da Reforma Tributária inicia em Brasília

curso_dieese_rts

Campo Grande (MS) – O Programa de Capacitação de Formadores em Reforma Tributária Solidária, desenvolvido pela da ANFIP e Fenafisco (Fisco Estadual e Distrital), com metodologia aplicada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) está sendo realizado essa semana em Brasília. O curso será realizado em duas turmas, dias 19 e 20, e 21 e 22 de setembro. Participam servidores públicos do fisco, representantes de diversos sindicatos, entre outras entidades. 

A abertura foi realizada pela vice-presidente Executiva da ANFIP, Sandra Tereza Paiva Miranda, e pelo diretor de Formação Sindical e Relações Intersindicais da Fenafisco, Francelino das Chagas Valença Junior. “É importante informar que nossas propostas são possíveis de serem executadas e devem ser postas em prática com urgência, haja vista o cenário tributário do país. Nós do fisco sabemos o quanto estamos sendo deixados de lado devido à falta de projetos na área tributária”, destaca Sandra Miranda. 

O curso é conduzido por Sérgio Eduardo Arbulu Mendonça, do Dieese. Da ANFIP, participam da turma os vice-presidentes Ariovaldo Cirelo (Serviços Assistenciais), Dejanira Freitas Braga (Cultura Profissional e Relações Interssociativas), Ilva Maria Franca Lauria (Assuntos Parlamentares), César Roxo Machado (Estudos e Assuntos Tributários), Valdenice Seixas Elvas (Planejamento e Controle Orçamentário) e Jorge Cezar Costa (Finanças). 

A expectativa é que sejam formados 140 multiplicadores. A certificação será emitida pelo Dieese. A abordagem dos temas é feita a partir de um olhar interdisciplinar, utilizando, principalmente, os referenciais teóricos da Sociologia, da Economia, do Direito, da Ciência Política e da História. 

Toda a metodologia desenvolvida e utilizada nas atividades de formação oferecidas pelo Departamento visa à apropriação de conhecimento pelos participantes, combinando experiência de vida e saber científico, tendo como base a construção coletiva do conhecimento, a valorização das experiências individuais e a mediação entre o conhecimento científico e o repertório de cada participante.