Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
22.08.2018 • Tributos

Reforma Tributária Solidária chega até a CNBB

cnbb

Campo Grande (MS) – A proposta de Reforma Tributária Solidária chegou até a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Os auditores fiscais e presidentes da ANFIP, Floriano Martins de Sá Neto, e da Fenafisco, Charles Alcantara, estiveram reunidos na sede da Confederação, em Brasília-DF, com o secretário-geral, dom Leonardo Steiner. 

Floriano Sá Neto explicou os principais pontos da campanha, que visa tornar o sistema tributário brasileiro mais justo, combatendo a desigualdade social do país. “É preciso tornar progressivo o nosso modelo tributário, para que pese menos no consumo, que impacta os mais pobres, e incida mais na renda e propriedade. Somente assim o sistema tributário vai reforçar o Estado de Bem-estar Social”, ressaltou o presidente da ANFIP. 

Ele lembrou que a Confederação dos Bispos do Brasil foi parceira na luta contra a Reforma da Previdência (PEC 287/16), encabeçada pela ANFIP, e que o apoio novamente se faz necessário. “Estamos agora em uma nova empreitada e queremos contar com CNBB”, enfatizou. 

De acordo com o presidente da Fenafisco, a reforma tributária é um tema recorrente em todos os governos. “Ela vai acontecendo sem que a gente perceba, também conhecida como ‘reforma fatiada’, mas essas reformas não têm sido no sendo de enfrentar o verdadeiro problema do sistema tributário, que é cobrar menos dos mais pobres e mais de quem ganha mais”, alertou Charles Alcantara. “O imposto brasileiro tem que voltar para o bem-comum. A gente não vai fazer conseguir justiça no Brasil com esse modelo tributário”, disse o dirigente. 

Dom Leonardo afirmou que esse tema tem sido abordado pela CNBB: “Temos nos preocupado com essa questão. A CNBB se preocupa com a questão do Estado de Bem-estar Social. Onde a CNBB puder contribuir, ela var dar sua contribuição”. 

Ele agradeceu a visita da ANFIP e da Fenafisco e parabenizou as entidades pela iniciativa, enfatizando que também é preciso informar e levar a proposta para debate com a população. Também participou da reunião a assessora da Presidência da ANFIP, Leda Bandeira. (Reprodução/Anfip)